Introdução alimentar: qual método adotar e que consistência oferecer?

Em pouco mais de três meses, os gêmeos começarão uma das fases mais desafiadoras, na minha opinião, do seu desenvolvimento: a introdução alimentar.


Já contei no Instagram que a introdução alimentar da Sarah foi tradicional/passiva, mas que foi bem tranquila, de forma geral. Ela sempre teve predisposição para experimentar os alimentos e sempre foi comilona. Além disso, aos seis meses, começou a frequentar uma creche que tinha uma grande preocupação com a alimentação dos bebês e oferecia um cardápio de bastante qualidade.


Mas essa experiência positiva não me faz sentir completamente confiante em relação a IA dos meninos porque sei que cada bebê reage de uma forma diferente. Dessa vez, buscarei apoio de uma profissional competente da área, que me acompanhou durante a gestação deles, a Nutricionista Thaís Abath* e buscarei fazer uma introdução mais participativa, tentando desapegar da bagunça e da sujeira que isso deverá gerar.


E para inaugurar nossa Coluna: Com a palavra, a nutricionista, hoje a Thaís traz um texto em que apresenta algumas dicas e informações sobre a transição da consistência da comida do bebê nesse período.

Com a palavra, a nutricionista:

Uma das maiores dificuldades entre as mães que vão iniciar a alimentação complementar da criança é qual consistência oferecer e como fazer a transição da consistência da comida da criança.


No primeiro momento, aos seis meses, a criança deve comer a comida amassada. Aos nove meses já começamos a fazer a transição e no geral, aos 12 meses a criança já passa a comer a comida com a mesma consistência que os demais membros da família.


Claro que isso não é uma regra. Algumas crianças iniciam a alimentação com seis meses comendo alimentos em pedaços/palitos, utilizando o método que é conhecido como BLW (Baby Led Weaning).


Mas vale alertar que o BLW só deve ser utilizado com crianças maiores de 6 meses de idade e que não têm dificuldade no ganho de peso/crescimento.


Para as mães que oferecem a papinha amassada, deixo algumas dicas de como fazer a transição da consistências:

  1. Cozinhe os alimentos para ficarem bem macios;

  2. Amasse menos ou corte em pedaços;

  3. Se a criança estiver com muita dificuldade: misture as duas consistências.


Em regra, não tem regra de qual método é melhor! O melhor método é aquele que o bebê aceite melhor. Seja BLW ou tradicional!


* Nutricionista, pós graduada em nutrição Pediátrica e pós graduada em nutrição clínica funcional. Atende em consultório com foco em gestantes e crianças. Descobriu a paixão por esse público quando ficou grávida há 4 anos, quando nasceu a Fefê, sua maior paixão. Tenta incentivar ao máximo uma alimentação saudável entre os pais para ajudar a criar crianças com mais saúde.


© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com