Iogurteira: testando produto

Empolgada com a ideia de fazer nosso próprio iogurte e incentivada por diversos posts de mamães que sigo e que me inspiram no Instagram, comentei com meu marido que queria comprar uma iogurteira. Só esqueci de dizer para ele que já havia pesquisado, consultado pessoas que tinham e decidido que marca compraria.


Alguns dias depois, chega lá em casa uma da marca Fun Kitchen, que ele comprou para me presentear. Fiquei feliz com o gesto, achei super fofa a iniciativa, mas não era a marca que eu havia escolhido e tinha uma diferença crucial, ao meu ver. A que ele comprou fazia porções individuais, o que eu achava que não era proveitoso.

Mas enfim, a intenção foi a melhor e a iogurteira estava lá em casa. Resolvi, então, testá-la e tirar minhas próprias conclusões.


Como nunca fui afeita a ler manuais de instruções, pesquisei no Youtube e encontrei dois vídeos sobre a marca e modelo que havia ganho. Assisti rapidamente e me aventurei a fazer nosso primeiro iogurte caseiro. Descobri depois que cometi um erro básico, não usei o leite morno. Mas com as dicas das pessoas queridas que acompanham a Lancheira Divertida, a segunda tentativa foi um sucesso!


Como fiz o iogurte:


Utilizei cerca de 800 ml de leite pasteurizado (de saquinho) fervido e morno, um iogurte natural integral (sugiro observar os ingredientes do iogurte. Uso sempre os que possuem apenas leite e fermentos lácteos) e duas colheres de sopa de leite em pó integral da marca Itambé (o leite em pó é opcional, mas segundo o fabricante, ajuda a dar maior consistência).


Misturei todos os ingredientes com a ajuda de um fue, mexendo suavemente, e despejei nas seis forminhas quem vêm na iogurteira. Coloquei-as na máquina tampadas e liguei. Deixei por cerca de 11 horas e pronto (o fabricante recomenda de 8 a 12 horas). Nossos iogurtes caseiros e naturais estavam prontos e deliciosos. Deixei gelar por algumas horas antes de consumir. O sabor ficou muito suave, a consistência ficou excelente e eu pude escolher todos os ingredientes que estavam ali.


Com a troca de informações nos perfis da Lancheira Divertida e lendo um pouco mais sobre o assunto, separei algumas dicas importantes de serem observadas na hora de preparar o iogurte:


- O leite deve estar morno, nem quente e nem frio. Para saber se está na temperatura ideal, mergulhe seu dedo nele e veja se consegue ficar por 10 segundos sem sentir queimar. Essa super dica foi da querida @roeyuri e tem me ajudado a fazer sem precisar de termômetro de alimentos (coisa que eu não tenho).

- Escolha um leite de qualidade. Hoje em dia é possível encontrar, inclusive, opções orgânicas em supermercados e feiras.

- Depois de preparar seu primeiro iogurte, você já pode guardar um potinho para preparar outra rodada, sem precisar comprar industrializado.

- Mantenha a iogurteira em um local sem corrente de vento, enquanto ela estiver ligada, pois o trabalho da máquina é aquecer sua mistura na temperatura ideal para que ela vire iogurte. O vento pode resfriar a máquina e atrapalhar o processo.

- Talvez pelo calor ser mais intenso na parte de baixo da iogurteira, percebi que no fundo dos potinhos a consistência do iogurte é um pouco diferente. Ele fica mais granulado, mas nada que altere seu sabor.


Depois de já ter testado por uma semana e preparado quatro rodadas de iogurte, avalio algumas vantagens da marca e modelo que ganhei:


- Compacta, leve e fácil de manusear e guardar.

- As porções individuais facilitam na hora armazenar e no consumo. É só pegar o potinho e consumir nele mesmo, caso não queira misturar com outros ingredientes.

- Os potinhos vêm com a marcação indicativa da quantidade ideal a ser colocada. Assim, não transbordam com a fermentação e não formam soro.

- Não precisa colocar água no fundo da máquina para ajudar no aquecimento da mistura, como em outras marcas.


A única desvantagem que vi nela até agora é que caso você queira preparar uma nova rodada de iogurte, você precisa desocupar todos os potes, para otimizar sua preparação. Mas isso é facilmente resolvido, despejando o iogurte em outro recipiente, para poder utilizar os potinhos.


Por fim, fazendo uma conta bem rasa, verifiquei que o custo financeiro de fazer o próprio iogurte é um pouco menor, mas mais importante que isso, acredito que seja a vantagem de poder utilizar um leite de qualidade e do qual posso conhecer a procedência, além de ter um sabor mais suave que os comprados no supermercado. Esses aspectos me fazer entender que vale a pena ter uma iogurteira.


E como ainda sou uma aprendiz no assunto, vou adorar receber dicas e trocar ideias com vocês sobre isso!


*Esse post não teve nenhum patrocínio da marca.

© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com