Mudança de hábitos


De forma geral, a alimentação da Sarah e sua relação com a comida é algo que me deixa muito orgulhosa e realizada. E esse foi um processo que construímos em casa com muito empenho e dedicação e que também contou com o apoio essencial da escola.

Mas durante muito tempo, algo que me deixava extremamente frustrada era o fato da Sarah só comer em casa se estivesse em frente à televisão. O sentimento de culpa (constante na vida de toda mãe que eu conheço) me acompanhava sempre que eu presenciava essa cena, pois eu sabia que quem havia feito com que ela se acostumasse com isso tinha sido eu.

Tudo começou por volta de um ano de idade. Ela já não querer ficar quieta para comer na cadeirinha e fazia birra, não abria a boca, chorava. E eu, cansada das acordadas noturnas, do trabalho e das tarefas domésticas, comecei a ver que assistindo televisão todo o chororô parava e ela comia sem pestanejar.

No início, me senti aliviada e sempre pensava: não tem problema! É só no final de semana, pois durante a semana ela come direitinho na escola. E pelo menos assim, ela está comendo. Mas com o tempo, isso começou a me incomodar muito. E a essa altura, já havia virado um (péssimo) hábito. Durante cerca de um ano, a Sarah estava sempre entretida para comer. Às vezes, eu a colocava para desenhar ou montar um quebra-cabeça durante a refeição, para tentar tirar o foco da televisão, mas sabia que não fazia muita diferença. Ela continuava não dando atenção para o que estava comendo.

Quando ela completou dois anos, passei a ajustar os horários para que nos finais de semana fizesse as refeições nos mesmos horários que nós e expliquei para ela que ela teria um lugar na mesa conosco. Escolhemos juntas o lugar dela e passamos a fazer as refeições em família, sem televisão ou brincadeiras, prestando atenção ao que comemos e conversando. Confesso que foi muito mais fácil e natural do que eu imaginava. Talvez devesse ter feito isso mais cedo (quem sabe?). Hoje não abro mão desses momentos deliciosos em família!!

E para os papais e mamães que passam por isso, compartilho um pouco do que aprendi nessa caminhada:

- Comer em um ambiente tranquilo, sem distrações é essencial para uma boa refeição;

- De preferência a criança deve comer sempre no mesmo ambiente. Isso a ajudará a vincular o local com o momento das refeições e saberá exatamente o que esperar quando for colocada ou encaminhada para o lugar;

- Pratos com alimentos coloridos chamam a atenção das crianças e geram o interesse sobre o que estão comendo;

- Explicar para a criança o que ela está comendo e associar a ingestão dos alimentos à saúde e disposição para brincar, pode ajudá-la a entender a importância de se alimentar;

- Ajudar no preparo dos alimentos e na organização do local onde a criança irá comer, ajuda a criar um vínculo com a comida e com o momento das refeições.

Mas o mais importante de tudo, é que este seja um momento prazeroso e tranquilo. Forçar a criança a comer ou fazer chantagem, oferecer prêmios em troca, deixarão para ela a mensagem de que comer é uma obrigação e não uma necessidade, um processo natural e importante para o seu desenvolvimento. É um processo que exige paciência e persistência, mas cujos resultados poderão ser colhidos por toda a vida dos nossos filhos.

© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com